quinta-feira, 1 de março de 2018

DEMASIADO À VONTADE !

Ninda - foto de Gonçalo de Carvalho

Em, fins de Novembro de 1971, fomos incumbidos de transportar um grupo de "páras" para Ninda, leste de Angola.
Como era costume tínhamos de ter muito cuidado com o peso do pessoal equipados para operações. Nestas missões o peso é que contava e por vezes apareciam com peso excessivo. Era, como não podia deixar de ser, um problema de segurança de operação do avião.
Ora, nesse dia o percurso para Ninda foi feito pelo 2º. piloto, de acordo com a alternância de percursos.
Quando estávamos na fase de "arredondar" o 2º. piloto começa a gritar: "ai, ai, ai" e, virando-se para mim diz: "agarra no manche, ajuda-me, que não consigo aterrar!"
Imediatamente deitei as mãos e juntamente com ele, em vez do normal movimento de trazer o manche atrás, fomos obrigados a fazer força para a frente, até poisarmos o avião.
Berrei para o mecânico, que fosse lá atrás chamar os pára-quedistas para a frente, porque receava que o avião assentasse a cauda antes, ou ao parar. O que sucedeu, foi que pura e simplesmente ao sentirem que estavam a chegar ao solo, começaram a movimentar-se para a cauda.
O 6402 em Ninda, preparado para mais um transporte

Para remediar, utilizei uma técnica, uma travadela em força, que com a inércia os levou de roldão em direcção do nariz.
Custou-me a perdoar esta insensatez porque eram homens da mesma arma e sabedores de certas regras que tinham de cumprir.
A expressão "calhaus com olhos" assenta por isso como uma luva. Pode parecer depreciativa, mas é na verdade afetiva.



Por especial deferância do Sr.

Cap. Pil. (Ref) Fernando Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário