sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

BA 7 - CURSO P2/69 - ACONTECIMENTOS NA NOSSA GERAÇÃO


BASE AÉREA Nº. 7 - CURSO SARG. P2/69
DESIGNAÇÃO DO CURSO: “TOSKOS”
LEMA: Do desânimo das dificuldades para a alegria de vencer
MAIS 19 JOVENS PORTUGUESES RECEBERAM AS “ASAS” DE PILOTOS

Em avião militar, deslocou-se no dia 23 de Julho de 1970 à Base Aérea nº. 7, em S. Jacinto (Aveiro) o Secretário de Estado da Aeronáutica, brigadeiro Pereira do Nascimento, a fim de presidir às cerimónias de entrega de “brevets” do curso de pilotagem P-SARG. 2/69. Acompanharam-no os brigadeiros Jorge Noronha, Sousa Oliveira e Braz de Oliveira, respectivamente directores dos Serviços de Comunicações e Tráfego Aéreo, Material e Pessoal da Força Aérea; do coronel Pereira Vaz, director interino do Serviço de Instrução; e do coronel Alberto Bastos, chefe do gabinete daquele membro do Governo.
Coronel José F. Valente
Depois de ter recebido os cumprimentos do comandante da Unidade, coronel José Ferreira Valente, e dos oficiais que ali prestavam serviço, o brigadeiro Pereira do Nascimento dirigiu-se para a tribuna, onde já se encontravam o Governador Civil e o Presidente da Câmara Municipal de Aveiro me outras  individualidades.  
A iniciar as cerimónias, o comandante da Base Aérea nº. 7 saudou as entidades presentes, em especial o Secretário de Estado da Aeronáutica, pois a sua presença era um estímulo e uma honra para os 19 pilotos que iam ser brevetados.
Usou da palavra o comandante da esquadra de instrução, major piloto aviador Aníbal José Coentro de Pinho Freire que, dirigindo-se aos pais dos alunos disse poderem estes “estar orgulhosos dos seus filhos. Venceram um curso difícil, em que se exige um elevado grau de qualidades físicas, morais, psíquicas e intelectuais, porque as tem que possuir quem tem que desempenhar missões de grande responsabilidade que lhe irão ser destinadas. Chegam a este dia após uma dura selecção e constituem, com certeza, um escol. Por isso mais uma vez afirmo que podeis estar orgulhosos deles. Nós estamos”.   

     Tribuna de honra em que falava o Major Pinho Freire – Comandante da Esquadra de Instrução

Depois de terem recebido os Diplomas, os novos pilotos desfilam em frente da Tribuna
E a terminar afirmou: “a Esquadra de Instrução de Pilotagem, como órgão operacional e razão de ser desta Unidade, entrega à Nação mais 19 pilotos que estão desejosos de mostrar o que valem e, tenho a certeza, saberão cumprir com galhardia, competência e disciplinadamente. Assim Deus os proteja e o bom senso não lhes falte”.
Seguiu-se a entrega de “brevets” que, como já é tradicional, foi feita pelos respectivos instrutores, após o que o Secretário de Estado da Aeronáutica e as outras individualidades presentes fizeram a entrega dos diplomas.
Depois do desfile em continência das forças em parada seguiu-se o desfile aéreo e exibição de algumas figuras de acrobacia por um avião “T-6”.   

Caso tivesse eu sido aprovado nos testes para o curso de pilotagem e conseguisse obter o “brevet”, provavelmente estaria presente nesta cerimónia!... O premiado, foi o piloto Semedo, meu companheiro nos testes durante 28 dias, realizados em grande parte na Rua Alexandre Herculano, perpendicular à Avª. da Liberdade, Lisboa. Passados cinco anos, (1974) estando eu a dar a volta ao país de mochila às costas e à boleia, encontrava-me a solicitar informações à recepcionista num Hotel de Elvas, perguntando-lhe se conhecia na cidade um piloto chamado Semedo. Coincidência, das coincidências…naquele preciso momento, ela apontou para a porta de entrada no Hall, e disse-me: Ali vai ele a passar!...Tinha seguido para Moçambique, e eu, para Angola!...

Notas: Recolha de informação na Revista “Mais Alto” nº. 136 – Agosto 1970

Até breve                                                                                   
O amigo

Sem comentários:

Enviar um comentário