quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

BA2 OTA - JURAMENTO DE BANDEIRA DA ER 2ª./72
















JURAMENTO DE BANDEIRA E DISTRIBUIÇÃO DE
DIPLOMAS
B.A. Nº. 2 – OTA – 01/SET/1972
Juramento de Bandeira da Escola de Recrutas 2/72


Na Base Aérea nº. 2 (OTA) realizou-se  no dia 1 de Setembro o juramento de bandeira dos soldados cadetes do curso de oficiais milicianos pilotos aviadores, do curso de sargentos milicianos pilotos e dos soldados alunos especialistas da E.I.R. 2/72.
Durante a cerimónia foram também distribuídos os diplomas aos oficiais que terminaram os cursos de Instrução Complementar de Pilotagem de aviões de caça, do curso de oficiais milicianos técnicos, do curso de oficiais milicianos do serviço geral e aos soldados alunos especialistas dos cursos de formação.
Chegada do CEMFA e tribuna

A fim de presidir à cerimónia, deslocou-se àquela Unidade o Chefe do Estado Maior da Força Aérea, general Tello Polleri, que estava acompanhado pelo sub-chefe do Estado Maior da Força Aérea, brigadeiro Braz de Oliveira e pelo Director do Serviço de Instrução, brigadeiro Henrique Troni. Presentes, também, na tribuna os presidentes das câmaras municipais do Porto, de Alenquer e de Vila Franca de Xira, e comandantes de outras Unidades da Força Aérea. 
Continência à Bandeira

O chefe de Estado Maior da Força Aérea foi recebido pelo comandante da Base Aérea nº. 2, coronel piloto aviador Osório Mourão, e outros oficiais que ali prestam serviço. Depois de passar revista à guarda de honra, o general chefe do Estado Maior da Força Aérea e as restantes individualidades presentes dirigiram-se para a tribuna.
A iniciar as cerimónias, usou da palavra o 2º. Comandante da unidade, tenente-coronel piloto aviador Silva Araújo, que afirmou: “Dentro de momentos ireis fazer o vosso juramento de fidelidade, a que vulgarmente se chama o juramento de Bandeira. E de Bandeira porquê?
Porque a Bandeira Nacional é o símbolo que representa a totalidade do povo português. Nela estão integrados todos os portugueses, de todos os credos, religião ou cor; aqueles que nos primeiros tempos à custa do seu sangue estabeleceram os laços básicos da Nação Portuguesa; aqueles que mais tarde se lançaram na descoberta e civilização de outros Mundos; e os que actualmente no Ultramar, no Continente ou que se encontram espalhados por esse Mundo fora, dão o seu melhor esforço para manter a integridade da Nação Portuguesa e o prestígio do seu povo.
CEMFA passando revista à guarda de honra

O vosso juramento de fidelidade é a garantia de que o esforço, o sangue, o suor e as lágrimas dos outros que vos antecederam não foram em vão e que vós próprios, conscientes das vossas responsabilidades como homens e como portugueses, estão prontos a dar o vosso sacrifício, a vossa inteligência e o vosso amor para que a integridade da Nação e povo portugueses se mantenha através dos tempos cada vez com maior firmeza, mais consciência e mais prestígio.
E hoje, perante esse mesmo povo, neste local representado pelos vossos familiares e amigos, por vós próprios, por todos nós que aqui nos encontramos e perante a Bandeira Nacional, única e verdadeira representante da totalidade do povo português ao longo dos seus quase dez séculosde história, vão  prestar o vosso juramento de fidelidade, oferecendo-se voluntária e conscientemente, pelo corpo e pelo espírito, à continuidade do esforço comum de engrandecimento de Portugal, para que qualquer um de nós, em qualquer canto do Mundo, e independentemente da cor,credo ou religião, sinta cada vez mais orgulho em dizer: Eu sou Português.”  
  
Entrega de diplomas e prémios
A proceder o acto de juramento, foram lidos os deveres militares, tendo em seguida o tenente-coronel Raul Tomás lido a fórmula do juramento que foi repetida em uníssono pelos soldados recrutas.
Segui-se a entrega de diplomas e prémios feita pelo chefe e subchefe do Estado Maior da Força Aérea e pelo director do Serviço de Instrução.
A encerrar as cerimónias, realizou-se o desfile, em continência, perante a tribuna.

A GLORIOSA EQUIPA DE ANDEBOL DO AB4 EM 1972

Alf.Fernandes, Neves, Castela, Xanana, Jaime "Abi", Antonio Braga  e B. Dias
Grama, Esteves, Fernando Braga, Pierre e Quim "Careca"

CAMPEONATO DE ANDEBOL DE 7 DA 2ª. REGIÃO MILITAR
Entre 22 e 26 de Agosto de 1972 realizou-se no aeródromo Base nº. 3 (Negage) o campeonato de andebol de 7 da 2ª. RA. Participaram as equipas representativas da BA 9, AB 3, AB 4, BCP 21 e DMFA 2, tendo a equipa pára-quedista conseguido o primeiro lugar no torneio. O nível técnico e a qualidade dos jogos ultrapassaram os padrões que são habituais em competições desta natureza. 
O AB 3 continuou a receber os camaradas das outras Unidades da melhor forma, concorrendo assim para que se atinjam os objectivos expressos no Artº. 1º. dos Regulamentos Desportivos: “Os campeonatos desportivos da 2ª. RA têm por finalidade promover o intercâmbio desportivo entre as Unidades da 2ª. RA, proporcionando ao pessoal contacto humanos que de outro modo se não poderiam realizar, desenvolvendo os laços de amizade e, através duma competição séria e disciplinada, contribuir para um melhor espírito de sã camaradagem entre todo o pessoal da Força Aérea”. 


Sagrou-se vencedora a equipa do Batalhão de Caçadores Pára-quedistas nº. 21, e em 2º. Lugar o Aeródromo Base nº. 4.

Notas: Recolha de informação na Revista “Mais Alto” nº. 161 – Setembro 1972

Até breve                                                                                   
O amigo

Sem comentários:

Enviar um comentário