terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

ALIMENTO PARA A ALMA - Escrito a duas mãos


O correio era a carga mais preciosa que se transportava.
Um certo dia, chegado ao Jimbe ido do Cazombo ( Angola-Leste ), sede do Batalhão, ao descarregarem o avião vejo um soldado a chorar em cima da carga.
Interrogado sobre o porquê do choro... era a falta do correio !
No Batalhão esqueceram-se de o enviar e como só lá voltaria daí a uma semana seria uma semana triste. Palavra que aquilo mexeu comigo.
Após a descarga do avião regressei ao Cazombo, fui à sede do Batalhão e mostrei o meu desagrado pelo facto. Pedi o correio em falta e voltei ao Jimbe ( eram 50 min de voo para cada lado ) com um saquinho que pesaria 100/200 gramas mas que transportava o alimento do espírito e alma para aqueles homens, pelo menos para uma semana.



video

A noite caía e ia uma enorme agitação na companhia, onde estávamos aboletados numa operação. 
Motivo? 
A coluna tinha ficado uns quilómetros a Norte, no acampamento da JAEA - Junta Autónoma das Estradas de Angola - e o correio só chegaria na manhã seguinte. Havia choros, crises de histeria e a situação tendia a gravar-se durante a noite. 
Já não me lembro de quem nos comandava, mas sei que descolei, já noite, fui ao acampamento da JAEA e levei o correio para Ninda. 
Continuo a considerar que esta foi a minha melhor missão em Angola.



domingo, 19 de fevereiro de 2012

AVIÕES DA FAP - BROUSSARD

O Broussard 3304, após a sua restauração na BA6 do Montijo em 2002, foi entregue ao Museu do Ar, na Granja do Marquês. 
Os cinco Max-Holste M.H.-1521-M Broussard (monoplanos de asa alta caracterizados pela sua dupla deriva), candidatos a suplementar os Auster, recebidos em Março e Abril de 1961, foram matriculados com os números 3301 a 3304, tendo um deles ficado para peças sobressalentes. Este avião canadiano, equipado com motor radial Ptratt & Whitney radial R-985-AN.1 de 450 hp, igual ao dos Beechcraft C45, transportava um piloto e cinco passageiros, com peso máximo à descolagem de 2700 Kg. Todos os Broussards foram destinados para o A.B. 3 do Negage, em Angola. No ano de 1961, o 3302 foi abatido por fogo anti-aéreo em Muxaluando, perto de Nambuangongo (Angola) e o 3301 teve um problema no motor, próximo do Toto, tendo-se danificado na aterragem e sido enviado para reparação nas OGMA. Também em 1961, o 3303 capotou na fazenda Santarém, por aterragem a alta velocidade e foi igualmente enviado às OGMA. Restou intacto o 3304, que foi integrado depois com o 3301 e 3302, na Esquadra 82 do A.B.1 da Portela, Lisboa, que operava com alguns aviões de transporte ligeiro e de ligação - tais como o Beechcraft C45, Piper L-21B e Chipmunk-ao lado da Esquadra 81 de Transporte, tendo sido considerados como excedentários em 1976. (Crédito M. Canongia Lopes-artigo na revista Mais Alto) Em 2000, o Broussard 3304 foi objecto de restauração na BA6 do Montijo, tendo efectuado o 1º voo após restauro, em Agosto de 2002, após o que foi colocado no Museu do Ar, na Granja do Marquês, em Sintra. 

O primeiro Broussard (FAP 3301) com a pintura de origem.  
O Broussard 3303 na BA9 de Luanda.
Carimbo de da Mostra Filatélica da BA 11 de 18-10-2002, referente ao voo Lisboa-Beja no Broussard da FAP. 

 
O Broussard 3304 em restauração na BA6 do Montijo em 2002. (Crédito José Jorge). Aos apreciadores recomendo a visita ao site walkaround.comde Nuno Martins, também um ex-ogma, que tem muita informação actualizada sobre aviões.

Créditos: jfs -ex-ogma.blogspot.com



quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

A CONQUISTA DO ESPAÇO - HOMENAGEM A VON BRAUN


(23 Março 1912 - 16 Junho 1977) 
Wernher Von Braun, o cientista que viveu o seu sonho de adolescente, contribuindo notavelmente para que o homem chegasse à Lua. 
Raramente assistimos na Historia da Humanidade ao aparecimento de personalidades com capacidade tal de auto realização que tudo na sua vida, é perfeito e harmonioso desenvolvimento no sentido, de um desígnio de inspiração que anima desde os primeiros amores de adolescência. Von Braun pertence a esse restrito número de eleitos. Ele foi um dos mais poderosos esteios que permitiu o caminho do homem até á Lua.
Aqui se recorda a maior façanha do Homem, como homenagem que se presta a este excelente cientista.

A viagem à Lua
Em 25 de Maio de 1961, John Fitzgerald Kennedy, perante as Câmaras do Congresso, reunidas em Washington, num discurso memorável, de cerca de 45 minutos, entre outras palavras disse:
“Estamos a viver tempos extraordinários e enfrentamos um desafio extraordinário. Chegou o momento de dar passos maiores, de os Estados Unidos da América assumirem o papel principal, bem definido em façanhas espaciais, e que sob muitos aspectos pode conter a chave do nosso futuro na Terra. Reconhecendo a vantagem soviética, com os seus grandes foguetões, que lhes deram durante alguns meses de avanço, reconhecemos a probabilidade de que eles possam explorar essa vantagem durante algum tempo mais. Temos de fazer novos esforços, por nós próprios e enfrentaremos o risco adicional de o fazer perante todo mundo. Isto não será apenas uma corrida ao Espaço, é uma corrida pela Humanidade”
Oito anos após estas palavras terem sido pronunciadas, o Homem descia sobre a superfície lunar, regressando….são e salvo.
A 16 de Julho de 1969, na nave Apolo 11, tripulada pelos astronautas, Neil Armstrong, Edwin Aldrin Jr, e Michel Collins foram e regressaram de uma viagem única de 159 horas e 18 minutos á Lua, tendo Armstrong e Aldrin pousado na Lua, no módulo lunar, (Águia)demorado e passeado na superfície lunar 21h e 38m…..é mais bela página História da Humanidade.
No dia 10 de Julho de 1969, às 15 horas (Quinta-feira) iniciou-se contagem decrescente. Minuto a minuto as operações finais programadas ia sendo rigorosamente executado. O veículo lunar de 110 metros de altura assente na torre da plataforma 39-A no Cabo Kennedy: um conjunto colossal formado pela combinação do foguete, enorme, de propulsão, Saturno 5 e a nave lunar Apolo 11, de 3467 toneladas (métricas), ergueu-se lentamente com a base envolvida por chamas alaranjadas. Acabara de soar o último momento da contagem decrescente, o momento zero, no dia 16 aquele mês e ano. O Homem erguia-se para conquistar a Lua
Nesse dia, do Presidente da Republica Portuguesa, era recebida a seguinte mensagem: “ O povo português, descobridor da Terra desconhecida nos séculos passados, sabe como admirar aqueles que nos nossos dias exploram o espaço exterior, levando a Humanidade ao contacto com outros mundos.”

Fim da 1º Parte


AVIÕES DA 2ª.GUERRA MUNDIAL - PV2 HARPOON

Planeado para substituir e aumentar a autonomia do PV-1, o Lockheed PV-2 Harpoon entrou em serviço na Marinha dos EUA em Março de 1945, tendo desempenhado muitas funções na 2ª guerra mundial, nomeadamente como bombardeiro, patrulheiro e avião de ataque. Devido à sua capacidade de se defender sózinho, podia operar sem necessidade de escolta de aviões de caça.. Uma listagem histórica dos aviões PV-2 usados na Força Aérea Portuguesa pode ser consultada 
Algumas gravuras de aviões PV-1 e PV-2 Harpoon utilizados na 2ª guerra mundial.


Créditos: jfs -ex-ogma.blogspot.com